Publicado em 30 de julho de 2014 às 08:41

5 aliados da higiene íntima feminina



Não é só a pele, os cabelos e as unhas que merecem cuidados especiais constantes. As mulheres precisam estar atentas também à higiene íntima. E os cuidados básicos fazem toda a diferença.


“Há diversos mitos relacionados à higiene íntima, mas o fato é que atitudes simples, como usar o sabonete adequado, higienizar corretamente, não usar roupas muito justas e não abafar o local ajudam a manter a região íntima equilibrada e livre de possíveis problemas ginecológicos”, explica o Dr. Paulo Giraldo, ginecologista obstetra, especialista em higiene íntima, professor titular de Ginecologia da Faculdade de Medicina da Unicamp e vice-presidente da Comissão de Doenças Infectocontagiosas da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).


CURTA O H1 NEWS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER


Veja a lista com os 5 aliados da higiene íntima feminina:
1 . A região íntima é bastante delicada e sensível e os sabonetes íntimos são produtos indicados exclusivamente para essa área. Segundo o Guia Febrasgo, a melhor opção é usar produtos hipoalergênicos, que reduzem a chance de ocorrência de quadros irritativos. Deve-se dar preferência aos líquidos, com pH ácido (pH entre 4,2 e 5,6) que produzam pouca espuma.

2 . A higiene inadequada normalmente está ligada à falta ou ao excesso de limpeza. A higienização correta deve ser feita pelo menos uma vez ao dia em climas mais amenos e de uma a três vezes ao dia em temperaturas mais altas. O uso dos sabonetes íntimos deve se restringir à higiene da parte externa da região genital. Eles não devem ser utilizados para duchas vaginais (internas) nem para tratar infecções ou inflamações genitais. Se você tiver algum desses problemas, consulte seu médico.

3 . Os lenços umedecidos são úteis para a higiene fora de casa. Sua aplicação deve ser suave e o uso não deve ser abusivo, para não remover a camada protetora da pele. Os lenços hipoalérgicos com pH ácido, especiais para a região íntima, são os mais recomendados.

4 . Apesar das propriedades de sua camada protetora, o suor, o abafamento e o uso de roupas justas e de tecidos sintéticos são elementos que podem dificultar a ventilação ou agredir a região íntima e, como consequência, alterar o seu pH, criando um ambiente propício ao desenvolvimento de infecções ginecológicas.
Dica: Durma sem calcinha de vez em quando e permita a ventilação do local.

5 . Em caso de dúvidas, procure a orientação e a recomendação de um ginecologista. Cada caso é um caso e ele é o profissional mais indicado para ajudar as mulheres a cuidarem de sua intimidade.


Fonte: Universo Jatobá






Mural

Mais notícias »

Publicidade





Inicial | Policial | Política | Esporte | Revista | Mural | Contato


Todos os direitos reservados - H1 News