Publicado em 27 de outubro de 2014 às 08:15

Pulgas e carrapatos: como evitar doenças e acabar com esse problema



Foto: Adriano Ferdin

Com o clima quente, os bichinhos de estimação sofrem e não é só com o calor. Este é o cenário ideal para a proliferação de pulgas e carrapatos. Além do incômodo, que de tanto coçar pode gerar feridas na pele, falhas na pelagem e alergias, eles podem ser acometidos por outras doenças transmitidas por esses ectoparasitas. A maioria dos cães são alérgicos às picadas de pulgas, carrapatos e até pernilongos.


O responsável pelo animal deve fazer varreduras frequentes na pele do animal, além da coceira, tanto as pulgas como os pernilongos deixam pontos avermelhados na pele. Já os carrapatos lembram pequenos pontos escuros. O ideal é investir na prevenção, optando por antipulgas, repelentes e cuidados com o ambiente, já que esses parasitas habitam praças públicas, halls dos prédios, ruas.

 


CURTA O H1 NEWS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER


Estima-se que 95% das pulgas estejam no ambiente e engana-se quem pensa que este é um privilégio dos centros urbanos. Encontrados também em ambiente rural, as pulgas e os carrapatos fazem ninhos nas frestas dos tacos de madeira, portas, carpetes, tapetes, além de gramado e terra.


As pulgas ainda transmitem verminoses para cães e gatos. Como elas picam o animal, podem transmitir vermes pela saliva. Nos felinos, porém, elas são mais graves, pois podem contaminá-los com a Mycoplasma, parasita do sangue, cuja nocividade está sendo estudada. Grandes infestações de pulgas sem tratamento adequado ainda levam a quadros de anemia, que podem ser graves, dependo do estado de saúde do animal.


Já os carrapatos, são responsáveis principalmente pela Erlichiose e Babesiose, enfermidades popularmente conhecidas como “doença do carrapato”. Comuns em nosso meio, elas causam a destruição de células sanguíneas. Entre os sintomas em cães, estão febre, apatia, falta de apetite, podendo evoluir a óbito.


Entre as opções para o tratamento contra pulgas e carrapatos, é possível encontrar no mercado sprays que são potentes, agem rapidamente e devem ser passados em todo o corpo do animal. Há também as pipetas com produto que podem demorar de 24 a 48 horas para ser absorvido e ficar realmente ativo. É aplicado na região da nuca, diretamente sobre a pele, afastando os pelos. O banho só poderá ser dado 3 dias após a aplicação.


É possível encontrar também antipulgas em comprimido que funcionam como um anticoncepcional, deixando-as estéreis, ótimo para controlar a infestação do ambiente, mas se o cão for alérgico, será picado e desenvolverá alergias.


Além do tratamento, é fundamental manter o ambiente limpo, retirar lixos estocados, madeiras empilhadas. De acordo com o especialista, se a casa tiver mais de um animal, o ideal é tratar todos eles para poder exterminar esses ectoparasitas.


Com informações: Universo Jatobá






Mural

Mais notícias »

Publicidade





Inicial | Policial | Política | Esporte | Revista | Mural | Contato


Todos os direitos reservados - H1 News