Publicado em 29 de janeiro de 2015 às 07:55

Aplicativo ajuda a identificar vetores da doença de Chagas



Pesquisadores da Fiocruz Minas acabam de criar um aplicativo para celulares que vai ajudar a identificar espécimes de triatomídeos – vetores para doença de Chagas. A demanda surgiu quando, há cerca de dois anos, a doutora e pesquisadora Rita de Cássia Moreira de Souza, do Laboratório de Triatomíneos do Centro de Pesquisas René Rachou (Fiocruz Minas), constatou que havia um problema no treinamento dos agentes de saúde. “Percebi que havia uma grande rotatividade dos agentes. Quando um sai do cargo, o município fica sem uma pessoa capacitada, o que atrapalha o programa de controle da doença”, disse Rita.
 
 
Pensando em solucionar esse problema, a doutora se perguntou se não seria possível pegar os caracteres da chave dicotômica de identificação de triatomíneos e transformá-los em algo prático e interativo. Surgiu a ideia para desenvolver um aplicativo de celulares, inicialmente para o sistema Android. Assim começou o Triatokey.
 
 
O aplicativo, que pode ser usado sem conexão com a internet, funciona de forma simples. O usuário responde perguntas sobre características visíveis do inseto a ser identificado. Acontece um processo de eliminação, por meio das perguntas, que estreita as possibilidades. Para facilitar o processo, cada pergunta é acompanhada de fotos que podem ser ampliadas. A pergunta “O aparelho bucal é curvo ou reto?” traz, por exemplo, fotos que exemplificam os dois tipos de aparelho bucal. Ao fim do processo, chega-se ao gênero do animal e a um pequeno número de espécies dentro daquele gênero.

 
 
CURTA O H1 NEWS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER

 
Agora o Triatokey tem sido usado em treinamentos e ensino, nos cursos do serviço de referência e nas aulas da pós-graduação da Fiocruz Minas. Segundo o doutor e também pesquisador da Fundação, Jerônimo Ruiz, principal programador do aplicativo: “O programa é portátil, sua capacidade de ajudar no combate à doença não tem preço. Não há outro software que faça isso”, diz Ruiz.
 
 
Atualmente as espécies que constam no acervo do software são as encontradas no Brasil. No futuro haverá uma expansão para abranger espécies de toda a América Latina. O software tem uma versão online, que pode ser acessada através do link . A versão para celulares e tablets estará disponível em breve para download gratuito na loja virtual Play Store.
 
 
Fonte: Ascom Fiocruz Minas





Mural

Mais notícias »

Publicidade





Inicial | Policial | Política | Esporte | Revista | Mural | Contato


Todos os direitos reservados - H1 News