Publicado em 11 de fevereiro de 2015 às 08:04

Comer escondido pode ser um distúrbio



Quando ninguém está vendo, o que você come? Você já experimentou fazer um diário dos alimentos e bebidas consumidos ao longo do dia? E se houvesse câmeras escondidas na sua casa e no trabalho e um detetive te seguindo, o que seria revelado sobre seus hábitos alimentares?


Apesar de parecer engraçado, o ato de comer escondido pode indicar que a pessoa sofre de transtorno da compulsão alimentar periódica (TCAP), que precisa de tratamento e atinge cerca de 30% dos obesos que procuraram serviços especializados para tratamento da obesidade e cerca de 2% da população em geral.


A compulsão alimentar se caracteriza por episódios de descontrole, em que a pessoa come sem estar com fome, rapidamente e “escondido”, para evitar ser julgada, tanto por outras pessoas, quanto por si própria. Mas, esse hábito é um autoengano, porque as calorias ingeridas vão se acumulando e não há como esconder o peso extra de ninguém, muito menos do espelho e da balança.


Outro ponto interessante é que quem come escondido tende a passar mal depois, devido ao excesso de alimentos ingeridos e da rapidez ao comer. Os alimentos preferidos são doces, gorduras e carboidratos. Dificilmente um comedor compulsivo vai devorar um pé de brócolis e um quilo de tomates! Mas, certamente pode comer uma caixa de bombons, uma pizza inteira e dois litros de refrigerante em cerca de 2 horas.

 


CURTA O H1 NEWS NO FACEBOOK E SIGA NO TWITTER


Para os comedores compulsivos, a comida deixa de ser uma fonte de nutrição e passa a fornecer prazer, satisfação, alívio temporário para problemas emocionais mal resolvidos, para a ansiedade, para o estresse, entre outros. A compulsão alimentar também provoca uma vontade de comer a todo o momento, uma vez que a falta da comida gera uma espécie de “vazio emocional”.


Depois de um episódio de descontrole alimentar, a sensação de culpa surge, piorando o estado emocional da pessoa, que pode entrar em depressão. Há vários critérios de diagnóstico, que só um médico pode avaliar. A compulsão alimentar é diferente da bulimia nervosa, pois o compulsivo não tenta se livrar do excesso cometido, como o bulímico faz, tomando laxantes, purgantes ou provocando vômitos, por exemplo.


Se você se identificou com o problema, procure ajuda de um médico. É possível controlar a compulsão alimentar e perder peso de forma saudável. Uma dica é: quando você sentir um desejo incontrolável de comer, observe o seu corpo e procure identificar se a fome é física ou se você está tentando preencher com a comida algum “buraco” emocional, se está buscando no alimento um alívio para o estresse ou se está se premiando por algo bom que tenha acontecido com você.


Fonte: Meu Prato Saudável






Mural

Mais notícias »

Publicidade





Inicial | Policial | Política | Esporte | Revista | Mural | Contato


Todos os direitos reservados - H1 News